Ayutthaya, a cidade das ruínas

Conhecida também como a cidade das ruínas ou cidade histórica, Ayutthaya é um dos destinos mais procurados por quem visita a Tailândia. Situada a 76 km ao norte de Bangkok, foi declarada Patrimônio Mundial da Unesco, em 1991.

Muitos dos viajantes que passam por aqui, optam por viagens de bate-volta desde Bangkok ou como uma parada no caminho a Chiang Mai. Chegar ali é muito fácil e tem muitas opções: ônibus, vans e trem, com saídas de hora em hora, durante todo o dia.

Mas, o que fazer em Ayutthaya?

Primeiro, um pouco de história. Ayutthaya, ou Phra Nakhon Si Ayutthaya, foi fundada em 1350 e foi a capital do então reino de Siam por mais de 400 anos. No século XVIII, chegou a ser uma das cidades mais prósperas e importantes do mundo, com mais de um milhão de habitantes. Também foi fundamental para o fortalecimento do budismo no país – chegou a abrigar mais de 1500 templos em seu pequeno território.

Toda essa imponência, claro, despertou interesse alheio e, durante a guerra com os birmanos, a cidade foi totalmente destruída e, abandonada, passou o bastão de capital da Tailândia pra Bangkok.

Hoje, grande parte de suas atrações são as ruínas desse período de apogeu, ainda que muitos templos estão mais conservados e alguns intactos. Apesar de serem muitas as opções do que ver em Ayutthaya, se pode fazer bastante em um dia e a melhor maneira de conhecer tudo é de bicicleta. Existem até alguns tours que oferecem esse passeio de um dia sobre duas rodas, mas você pode fazer isso sozinho também e assim escolher a sua rota de acordo com aqueles que realmente te interessam. Foi o que eu fiz. Um registro importante é que, entre fim de abril e começo de maio, o calor é sufocante, então esteja preparado pra suar, e muito.

E foi exatamente pelo calor que limitei minha visita a dois templos, um em ruínas e outro em perfeito estado. O primeiro foi o Wat Maha That, que estava bem na esquina do meu hostel. Por 50 thb, você tem acesso às ruínas do que foi um dos templos mais importantes de Ayutthaya e onde está uma das estátuas do buda mais famosas do mundo: a cabeça do Buda fincada entre as raízes de uma árvore.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O segundo templo que visitei foi o que, na verdade, me motivou a fazer a parada em Ayutthaya, o Wat Yai Chaimongkhon. Aqui, estão aqueles famosos Budas enfileirados ao redor de todo o pátio que abriga a cúpula principal. Está mais afastado da cidade e apesar de passar por uma (quase) rodovia, cruzar o rio e dividir espaço com carros, caminhões, tuk tuks e afins, se pode ir tranquilamente de bicicleta (claro, vá pelo acostamento). O local ainda é um monastério em funcionamento e, além dos Budas, se pode desfrutar dos seus canteiros floridos e aconchegantes.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Algumas dicas sobre Ayutthaya

Fui a Ayutthaya desde Chiang Mai, no norte da Tailândia. Você pode escolher entre ônibus ou trem, ambos com saídas noturnas, o que ajuda muito na hora de poupar tempo e dinheiro. Optei por comprar a passagem em uma agência e me saiu caro: 850 thb + 150 de taxi da rodovia até o hostel. Minha sugestão, compre seu bilhete direto na rodoviária ou na estação de trem.

Se você não vai ao norte, pode fazer um passeio de um dia saindo de Bangkok. Fique tranquilo que qualquer agência de turismo, em qualquer esquina de Bangkok, oferece esse tour. Então, a dica aqui é: pesquise o preço, sempre pode variar um pouquinho.

Esteja preparado pra um calor do ´Senegal´… Estive ali já na temporada seca e mais 20150101_231017Aquente, fim de abril, começo de maio, e estava muito, mas muito quente! Isso reduz bastante a possibilidade de desfrutar as ruínas – é impossível aguentar o sol estalando na cuca o dia todo – e o passeio de bicicleta também foi sofrido, mas valeu muito a pena.

Mulher sozinha mochila #2: largada no meio da estrada, dormi num banco à beira rio

Também esteja preparado pra muita dificuldade na hora de pedir informação. Apesar de ser um dos locais mais visitados da Tailândia, quase ninguém fala inglês, a sinalização não é muito clara, a cidade não é muito amigável pros turistas independentes… Difícil encontrar um café, difícil encontrar uma agencia turística pra pedir informação, tudo é difícil. Mas, como sempre acontece em terra tailandesa, toda a dificuldade vale a pena e, no fim, dá tudo certo e você sai maravilhado com tudo o que viu. Enfim, recomendo muito essa visita!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: